HQs

[Review] Quando Homens se Comportam como Animais, conheça “Blacksad”

blacksad_1_capa

“Tem certos dias que fica difícil digerir o café da manhã… Principalmente quando se encontra o cadáver de um antigo amor, os resquícios de um belo sonho”. John Blacksad

Estamos nos anos 50, e John Blacksad é um investigador particular vivendo como pode em um bairro americano pobre e perigoso. Em sua vida conturbada, já trabalhou em diversos casos, porém nenhum se mostrou uma grande provação como o assassinato de Natalia Willford – uma cliente e também um grande amor do passado. Determinado a resolver esse crime e sendo intimado pelo comissário de polícia Smirnov a não se intrometer nas investigações, Blacksad travará uma luta contra seus próprios sentimentos para não transformar um caso em uma missão de vingança. Percorrendo as ruas de uma cidade impregnada pelas fumaças do ódio, vingança e corrupção, ele verá que cada vez mais o caminho para a “justiça” se torna sombrio e sem volta.

A descrição acima se encaixa perfeitamente em um filme de ambientação noir e cumpriria seu trabalho com excelência, porém o que chama a atenção em “Blacksad” é o fato dos personagens serem animais antropomórficos que refletem suas características em suas histórias e personalidades, em um show de alegorias para retratar o comportamento humano em um mundo tão real e sujo. Curioso, não?!

P00007

“Existem muitos clichês envolvendo gatos. Um deles diz que nós temos sete vidas. Eu nunca tive vontade de comprovar. Também dizem que temos alguma coisa pessoal contra os ratos. Bom, isso é verdade. Principalmente se eles caem na besteira de entrar armados na nossa casa”. John Blacksad

“Algum Lugar em Meio às Sombras” é o nome do primeiro volume da série “Blacksad”, o autor espanhol Juan Díaz Canales é encarregado do roteiro desse cenário peculiar. John Blacksad é retratado como um gato negro: arisco, curioso e canalha (em alguns pontos lembra o velho John Cosntantine, mas não tão desgraçado). O cenário nos é apresentado através do ponto de vista do protagonista, com visões cínicas sobre o local sujo ao seu redor, onde o mais forte sobrevive. Além de Blacksad, temos cães e raposas como policiais (o comissário Smirnov é um pastor alemão de respeito), ursos e lobos como políticos, repteis e anfíbios representando o submundo em seus vários níveis de poder, etc. Canales construiu argumentos e analogias tão impactantes que fazem com que o leitor leia mais de uma vez uma única frase e absorvendo o máximo possível daquele momento prazeroso. A jornada investigativa de Blacksad para solucionar o assassinato é bem construída, com um ar de mistério e intrigas bem balanceado. As escolhas dos temas em cada história são outro ponto louvável: nesse primeiro volume a impunidade de crimes cometidos por poderosos é o centro da atenção. Posteriormente o autor trabalhou sobre segregação racial, a repreensão sexual, as sequelas da guerra, drogas, etc.

P00030

“Eu gostaria de viver em um mundo justo, onde até mesmo os poderosos pagam por seus erros. No fundo, no fundo, eu sou um ingênuo” Smirnov.

O outro responsável por essa obra é o artista, também espanhol, Juanjo Guardino. A utilização da aquarela para compor a arte foi uma escolha magnânima, uma arte cinematográfica limpa e obscura retratando um realismo decadente em um show de detalhes que contribuem para a verossimilidade da história, apesar de termos animais como personagens. Os personagens, cheios de expressões e singularidades, são outro belo ponto. Literalmente, cada passar de páginas será uma obra de arte contemplada.

“Blacksad” foi publicada, originalmente, pela editora francesa Dargaud, e conta atualmente com 5 volumes (publicados entre 2000-2013). Felizmente a editora Sesi-SP está retornando com esse material para o mercado brasileiro – a Panini publicou dois volumes mas parou por aí – com o primeiro volume “Blacksad: Algum Lugar em Meio às Sombras” já disponível para compra aqui.

P00044

Por fim, com uma narrativa densa e bem construída, aliada a uma arte espetacular, a dupla Juan Díaz Canales e Juanjo Guardino construíram um verdadeiro clássico moderno, uma trama cheia de crimes e investigações no melhor estilo noir, com personagens carismáticos e narrativas inteligentes. “Blacksad” é o retrato de como o mundo pode ser tornar uma selva onde impera a lei dos mais fortes, que fazem homens agirem como animais irracionais para alcançarem seus objetivos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s